Itacoatiara vai sediar campeonato de ondas grandes nesta sexta-feira

0
55
Fotos: Andre Cyriaco

 Foi dado o sinal verde para o Itacoatiara Big Wave. Em janela de espera desde julho, o campeonato de ondas grandes será realizado nesta sexta-feira, das 7h às 13h, na Praia de Itacoatiara, em Niterói. Esta é a segunda vez que o local recebe uma competição deste tipo. A primeira aconteceu há 26 anos, em 1993. Reunindo surfistas do cenário nacional e internacional, o evento foi confirmado nesta quarta-feira a partir da combinação de uma potente ondulação com ventos favoráveis prevista no swell que está entrando. Além das categorias masculina e feminina, haverá a categoria triagem local, destinada a surfistas da cidade. O vencedor da bateria compete com os profissionais.

Organizador da competição, Alexey Wanick conta que ondas potentes e tubulares são esperadas para delírio do público e dos surfistas de ondas grandes. A janela de espera poderia chegar até o final do mês. No início de agosto, um sinal amarelo chegou a ser dado, mas o evento acabou não acontecendo pois as ondas não estavam em condições ideais.

— Itacoatiara tem uma vocação natural para ondas grandes, muito grandes e tubulares. A partir disso, a gente resolveu resgatar esse projeto de campeonato, agora com uma visão mais moderna, no formato das etapas do Big Wave Tour, o circuito mundial de ondas grandes, que acontecem quando uma grande ondulação se aproxima. Em Itacoatiara isso ocorre de quatro a cinco vezes ao ano, com ondas que podem chegar a cinco, seis metros — detalha o organizador.

Alexey destaca que no Brasil ainda não existe um circuito nacional, apenas um campeonato de ondas grandes no Sul. O campeonato será transmitido ao vivo pelo canal Woohoo.

— Teremos atletas de peso do circuito mundial, como os brasileiros Lucas Chianca e Pedro Calado, e o chileno Cristian Merello. O apoio da prefeitura na realização desse evento está sendo fundamental. É o nosso principal patrocínio. Eles perceberam o potencial de Itacoatiara para destino de surf mundial seguindo o exemplo de Nazaré, em Portugal. Se mostrarmos Niterói para o mundo com esse potencial o retorno é grande — destaca.

Há três anos no circuito mundial feminino, a surfista Raquel Heckert representa Niterói no campeonato e espera que sua intimidade com as ondas pesadas de Itacoatiara ajudem neste campeonato:

— Itacoatiara tem uma das ondas mais pesadas do Brasil. Comecei a pegar onda com 12 anos no canal de Itaipu e aos 18, em Puerto Escondido, no México, tive certeza que queria as ondas grandes para minha vida. Não é fácil ter que correr atrás de recursos para viajar atrás dessas ondas grandes. Ter esse campeonato no Brasil e com a categoria feminina é algo muito especial para o esporte. Sinto que é um começo e que vai melhorar muito nos próximos anos — espera a surfista.

Nascido em Recife e filho de surfista, Gabriel Sampaio mora em Itacoatiara desde os 3 anos. Ele atua com freesurfer e retrata em vídeos seu desempenho na busca pelas melhores ondas pelo país e mundo afora, batalhando para entrar no circuito mundial.

— Não existem etapas classificatórias para o circuito mundial de ondas grandes. O surfista tem que se destacar e hoje esse é meu maior objetivo. Através da produção de conteúdo em ondas de impacto busco chegar no Big Wave Tour — conta.

Fonte: OGLOBO